Sofro por não ter falta ,

 

Sofro por não ter falta ,

Português

 
 

Sofro por não ter falta,
Ausência se faz sentindo
A mesma falta, a partir
Do que não é preciso,

E só dói ao principio, 
Eu sofro por não ter falta,
Medito a sós comigo, 
Repetindo o mesmo “mantra”,

Vezes e vezes sem conta,
Ausência só faz sentido,
Quando há em uma parte
Do corpo, transição.

Eu sou um quarto do caminho,
Desconheço os fins
E a distância, a atitude
É uma doença contagiante, 

Congénita, tal como a má morte,
Estou morrendo de conteúdo,
Como morre mudo um pato,
De desmérito, pode ser fraca

E inoportuna ou tamanha, 
Sofro por não ter falta,
A felicidade é rara e falsa, a alma não
É minha …nem é dada à sorte.

Sofro por não ter falta,
Finjo, ignoro, sou feliz
Como quando se nasce,
Ausência se faz sentindo,

A morte não se sente,
Embora faça parte do que sinto,
Falta-me do voar a asa e a verdade,
Os deuses não me deram uma,

A outra não a quero,
Não me cabe escolher qual delas minha, 
Sofro de não ter falta,
Sofro de ser agora, já tarde …

 

 

Jorge Santos 08/2018
http://namastibetpoems.blogspot.com

Género: 

Comentários

Álvaro de Campos

Álvaro de Campos

Ah quem tivesse a força para desertar deveras!

Ah quem tivesse a força para desertar deveras!

1594 (MDXCIV)

1594 (MDXCIV)

Sofro por não ter falta,Finjo

Sofro por não ter falta,
Finjo, ignoro, sou feliz
Como quando se nasce,

Top