Política

 

AQUARELA DA BANDEIRA

crítica

Género: 
 

O Pão que o diabo amassou

"Mas aí apoiam eles por pensar em ajudar, 
talvez os mais necessitados ou os que não querem trabalhar,
 hipocrisia, vejam só, essa ajuda é uma farsa,

Género: 
 

O infante de ninguém

Senhora, em vão espero caravela ingrata,

porque tarda a chegar?

Fiquei penhor de um reino ferido,

sofro as penas da solidão.

Tomai presto, em vossos braços,

Género: 
 

Guerra de conceito

Agora esta é a minha vida,
Que venham a mim as liturgias,
Que agora estou de partida,
Zelem-me ao vosso peito,
Nesta temprestade de tanta morte,

Género: 
 

Saudosismo Nacionalista

Meu berço, minha nacionalidade,
Estás à margem do oceano
E de encantos és feito,
Mas porque não encontras cura para o teu defeito?

Género: 
 

Parte vergonha, parte revolta

 

Tanta guerra
Tanto ódio

Nessa terra
Para restar apenas o arrependimento

Género: 
 

Convulsões Patrióticas

Decifrámos o enigma

soterrado nas pedras.

Conquistámos terreno

à custa de sofrimento

Somos heróis mascarados

com rasgos de valentia.

Um ópio raro

Género: 
 

INQUIETAÇÃO INQUIETAÇÃO INQUIETAÇÃO

INQUIETAÇÃO INQUIETAÇÃO INQUIETAÇÃO

 

Se houver eco nas palavras que dizemos

Não é porque possuímos as nossas mãos

Género: 
 

Amanhã há de ser...

Afetivamente subversivo
Militando em favor de causas banais
Esvaindo-se em trincheiras rasas
Caminhando e cantando sem direção

Género: 
 

Rule the world

the world's sick and i'm sick and stick with it
i couldnt fly in other way
sometimes i forget i dont possess wings

Género: 
 

Ergai as nossas bandeiras

Ergai as nossas bandeiras.

Género: 
 

Sem título

*
Na casa da minha vizinha
As carícias são murros
E as bocas fechadas
À espera do silêncio

Género: 
Top