Contos

 

Bipolaridade...

Bipolaridade...

 

- Prazer.

- Pessoa! Igualmente.

- Ora bolas! Por essa eu não esperava agora!

- Oh! À vontade. Eu hoje não trouxe comigo os outros três.

Género: 
 

Delicada!

Delicada!

 

De delicada ela não tem nada não!

A não ser que é toda feita de algodão doce e de gelado que derrete...

De delicada ela não tem nada não!

Género: 
 

Quando a conta de dois dá errado!

Quando a conta de dois dá errado!

 

De igual para igual!

E não é que o dois na sua lógica de ser será... sempre par.

Tal qual o sempre...

Género: 
 

e no fim Deus disse

e no fim Deus disse:

- Desiste!

 

Mas ela mandou-o à fava com todo o respeito.

Estava nada aí para o que aí vinha!

Género: 
 

A guerra...

- Papá, como é a tropa?

Papá, como é ir à guerra?

Papá, tiveste medo? Ainda o tens?

Género: 
 

A língua dos anjos.

A língua dos anjos.

 

O que é que 17:17 tem a ver com 18:18?

Nada de mais...

É mais fácil se eu te convencer disto.

Do nada que isto tem de especial!

Género: 
 

Não há lugar para nós lá fora...

Não há lugar para nós lá fora...

 

E se te abrigasses dentro do meu coração?

Nem que seja por um pouco.

E se acreditasses que dentro do meu coração estás seguro.

Género: 
 

sealed with my own mistake language... on my own time!

sealed with my own mistake language... on my own time!

 

someone, somewhere...

 

and so she looked inside my eyes and smiled, adorable but

Género: 
 

A culpa foi minha!

A culpa foi minha!

 

- A culpa foi minha?

- É! A culpa é tua! De armares confusão com os pensamentos que sentes.

Deixa de sentir! Simples assim.

Género: 
 

Quando o meu céu cai aos bocados!

Quando o meu céu cai aos bocados!

 

Há quem caia de bocados em bocados do céu... anjos!

Há quem os imite... as estrelas!

Género: 
 

SOS again

SOS again

 

another sky to fly

it does not matter anymore the road

it's you on my own spaceship

to land in an instant minute on my own world

 

Género: 
Top