Soneto

 

Dança de Fogo

Traças linhas laranjas no ar

Queimando nada e, no entanto,

No meu peito escrevinhar

Em fogo, em escara, o seu encanto.

 

Para sempre deusa, bailarina,

Género: 
 

Parados no Areal Imenso

Parados no areal imenso,

Sob o sol ardente que beija

E morde através de cabelo denso

Os sonhos estivais que a alma deixa

 

Que cresçam torradas no ser

Género: 
 

NO LABIRINTO

~~NO LABIRINTO

Sozinho, ando eu no labirinto
Dos sentimentos, que se atropelam,
Sigo pelos trilhos, em que eu sinto,
Que, ao fundo, alguma luz revelam.

Género: 
 

A NOSSA SINFONIA

Rodopiaste, leve, p’lo salão,
Com a leveza própria d’uma pena…
Sorriste-me, segura, tão serena,
Que deixou de bater meu coração!

Género: 
 

NAUFRÁGIO

Na noite naufraguei em mar revolto,
Sem ver, por vezes, o teu areal...
E o pânico é muito, o medo é tal
Que agarro esta jangada e não me solto!

 

Género: 
 

SOLTEM-SE AS PALAVRAS

Palavras que calei, falai agora,
Revelai sonhos meus, risos e dores,
Contai a quem dedico meus amores,
Dizei os nomes que deixei de fora…

 

Género: 
 

FILHOS DO POETA

  • Os poemas são filhos, são gerados
  • No seio das palavras que seduzo…
  • Não as poupo, e delas não recuso
  • A oferta dos filhos tão amados!
  •  
Género: 
 

O SILÊNCIO

Deixa que meu silêncio, meu amor,
Te diga, no silêncio que é tão nosso,
O que dizer-te quero mas não posso,
Que a força do silêncio é maior...

 

Género: 
 

O SOL

~~O SOL

Dizem, que o sol nasce para todos,
A água lava tudo, quando passa,
Porém, há quem receba o sol a rodos,
Mas pra outros, a água é sempre escassa.

Género: 
 

MEU POEMA

~~MEU POEMA

Deixa que meu olhar se extasie,
Olhando a beleza desse corpo,
Talhado a martelo e a escopro,
E que o possa olhar sine die.

Género: 
 

PÁSSARO NEGRO

~~PÁSSARO NEGRO

Há um pássaro negro que esvoaça,
Que traz desconfiança na penugem,
E lança a confusão onde passa,
Que o incauto engana por lambugem.

Género: 
 

A FEIRA DOS ENGANOS

~~A FEIRA DOS ENGANOS

Na Feira dos Enganos há muito orgulho,
Há muita presunção e até desdém,
Há, pois, pouca verdade e muito engulho,
E falta de amor-próprio, também.

Género: 
Top