Figas de Saint Pierre de Lá-Buraque

Membro

Fotografia de Figas de Saint Pierre de Lá-Buraque
Offline
Última vez online: há 4 anos 11 meses atrás
Membro desde: 08/11/2014 - 15:32
Pontos: 38

Género

Data de Nascimento

19/03/1940

Cidade

País

Sobre mim

Reformado dos TAP

Biografia

Nascido em São Cosme de Gondomar, em 1940.
tem o antigo 5º ano liceal e curso médio de inglês, francês e básico de alemão
Dirigente associativo; tendo sido Presidente da Assembleia Geral e da Direção do mais antigo Clube do Concelho de Gondomar; Clube Gondomarense
Coordenador duma Comissão de Trabalhadores (TAP)
Presidente fundador da APESG (Associação de Pais da Escola Secundária de Gondomar e posteriormente Diretor da FRAPN (Federação Distrital de Associações de Pais do Distro do Porto)
Frequentador de tertúlias poéticas, onde diz alguns dos seus mais de três mil poemas.
Promoveu eventos culturais
Tem centenas de artigos publicados na imprensa escrita nacional.
Tem poemas seus publicados em vinte coletâneas de poesia

Estatísticas do membro

  • user: Figas de Saint Pierre de Lá-Buraque
  • Conteúdos: 19
  • Visualizados: 6848
  • Comentários: 0

Conteúdo

 

O AMOR É UM CÉU COM ESTRELAS

Foi o Inverno que me gelou,

foi a tinta que se me secou,

o talento que se esgotou,

a tristeza que me sobrou,

a vontade que não chegou

Género: 
 

ARRISQUEI

Andava eu, atrás de ti,

dum modo permanente,

até que, um dia, resolvi

arriscar-me à tua frente!

Paraste,

ficaste a olhar!

 

Eu, ali, feito bobo,

Género: 
 

MARCADOR DE LIVRO

Tu tens um marcador dum livro,

que anda sempre contigo,

que o andas a ler, aos poucos,

mas, sê tu também um livro e

deixa-te ler, por outros.

Género: 
 

CORAÇÃO ESTAÇÃO

O coração é estação,

donde partem amores e esperanças

e chegam angústias e tristezas!

Fanfarras

acolhem alegrias nas chegadas,

Género: 
 

Amor, coisa estranha!

 

No amor há uma coisa a meditar;:

nem todos os casais fazem amor,

apenas fazem par!

.....xxxxxxx........

O amor é coisa estranha;

Género: 
 

CEGUEIRA NO AMOR

Sou tão ceguinho no amor,

que qaundo meu amor me dai baile

eu o pego,

com minhas mãos o pego

e leio, no seu corpo, amor,

em Braille!

Género: 
 

EMBALO DE MÃE

Quem me dera ser embalado,

outra vez, por minha mãe,

mas, esse embalo é já passado,

num tempo que já não vem!

 

Já homem,

dela me lembro, muito bem,

Género: 
 

LAVAGEM

Encostado, à janela do tempo,

batem-me murros de vento;

pancadas que abrem meu peito,

que me fazem limpeza e aspiram sujidade

acumulada: pó passivo, antigo,

Género: 
 

A VIDA É UM JOGO!

A vida é um jogo,

com muitas cartas,

que nos são dadas,

com que fazemos jogadas certas

ou erradas!

 

No jogo, que nos dão,

Género: 
 

DAI-ME UM SORRISO

Dai-me um sorriso,

que seja de criança,

que eu dele bem preciso

para a tristeza da esperança.

 

Quem nos deu vida

deu-nos lágrimas, para chorar,

Género: 
 

CONHECER

CONHECER

A quem não me conhece

eu dou-me a conhecer,

ficará no que lhe parece

e eu sem o saber!

 

Na ida a qualquer encontro

Género: 
 

ANDA CÁ AMOR

Anda cá amor, quero falar-te duma coisa doce

-como chocolate-

que até a ti me trouxe!

Deixa-me olhar bem para ti,

deixa-me encostar-me a ti,

Género: 
Subscribe to Conteúdo
Top