Intervenção

 

O APERTO

O QUE É FEITO DE TI??? O QUE É FEITO DE TI???
Crianças morrem, sem água nem pão.
Morrem em teu nome e de uma religião
Afogadas no seu sangue e sem bisturi!

Género: 
 

Levanta te!

Dói muito… ai, ai se dói
Não mata. Não mata mas mói!
Vai moendo, devagar… devarinho.
E morres, morres mais um pouquinho!

Género: 
 

Empobrecimento

Empobrecimento

 

Oulaaa! Diabólicos deprimidos!

Crânios com velhas sedes!

Entranha-te fonte de sofrimento

Vem para ficar!

 

Género: 
 

Manifesto

Manifesto 

 

É nesta sociedade sem orgasmo em que vivemos

que nos limitamos a estar presentes!

 

É pois na cultura do encosto, sem erecção, sem luta

Género: 
 

Palavras

Já pesam as palavras,

são várias.

Crias na mente e,

as palavras,

atormentam-te.

Acordar perturbado,

ouvir calado,

morrer sentado.

Género: 
 

Grite

Então vamos voltar a falar
Pois o silêncio sem novidades consente.

Género: 
 

Algum dia...

Algum dia terminará a dor

 

Algum dia a vida será melhor

 

Género: 
 

Sentimento bom 
onde andas tu, 
 amigo? 
dá­me a tua mão, 
enche de paz meu coração, 
e mostra­me o perigo. 
 
Género: 
 

Todos

O albino

O branco

O preto

 

O menino

O mano

O neto

 

O idoso

A idosa

Os pais

 

Formam o verso

Da prosa

Género: 
 

Prudência

A vida é uma festa

Quando mantemos a calma,

Cultivamos a prudência

P’ra a salvação da alma.

 

Com a hiperactividade

A vida não combina;

Género: 
 

Irisório

Procurava felicidade rápida

Executava planos do fantástico

Utilizava uma energia muito prática

Não era um grande matemático.

 

Perdoei a minha divida

Género: 
 

conhecimento

facilidades não mostra habilidades

mentalidades basiadas em personalidades

cidades rotinadas por mentes conformadas

onde essas mentes cruzam as mesmas estradas

 

Género: 
Top