Walter Aguiam

Membro

Fotografia de Walter Aguiam
Offline
Última vez online: há 6 anos 1 mês atrás
Membro desde: 05/09/2015 - 22:39

Estatísticas do membro

  • user: Walter Aguiam
  • Conteúdos: 49
  • Visualizados: 79578
  • Comentários: 1

Conteúdo

 

O meu sonho era pequeno, tu perdeste-me de o sonhar

Insististe, persististe e não desististe! Foi somente até ao dia que nos teus braços me abandonei,

Género: 
 

Saudade

"Saudade"

Género: 
 

"Abraço cego"

Dá-me um abraço cego,
que não seja amargo, nem bruto,
que seja somente um abraço,
que não veja a cor, nem o cheiro,
que seja somente um abraço profundo,

Género: 
 

Hoje suicidei-me desse ontem.

Ontem à noite suicidei-me, cortei as veias,
senti o meu corpo deslizar pela parede do quarto onde me havia encostado,

Género: 
 

Enfim...

Enfim…
Fui-me na despedida que fiz de mim mesmo,
Segui viagem nesta intrínseca tristeza de pertencer a este mundo,

Género: 
 

Virgens

“Virgens”
As virgens já são raras, já nem se usam e até fogem delas,
dizem as vozes, que são inexperiente, que não “prestam “na cama,

Género: 
 

Mãe Negra.

Atirou-se de joelhos para cima da esteira molhada e suja de lama,
Prostrou-se de mãos juntas e erguidas em sinal de um gesto de desespero e submissão,

Género: 
 

Como fizeram a Jesus.

Se eu pudesse mostrar-te como se ama de verdade,
este mundo de pessoas não acreditaria,
achariam que amar assim é impossível,

Género: 
 

A viagem da alma

Lá longe no infinito olhar,
ficam as coisas imaginárias que possam existir,
nunca sabê lo-emos na sua universalidade,
pensamo-las com a alma em viagem,

Género: 
 

" Verdade ou Mentira"

Por curiosidade fiz uma pergunta às lágrimas,
Porque choram?
nem todos responderam,
algumas ficaram inquietas,
outras como que envergonhadas,

Género: 
 

Poema Divino.

Nesse teu poema divino me escondo,
nele busco às cores que me cobrem,
os aromas que me despertam,
nesse teu poema divino,
eu vou ao encontro do que não sei,

Género: 
 

Refugiado da guerra

“Refugiados da guerra”
…Há muitos, muitos anos, era eu uma criança, tive de fugir da minha terra…

Género: 
 

É tanto triste fingir o amor.

Se eu disser que te amo,
Estarei a mentir-te,
Sendo assim dir-te-ei apenas que gosto de ti,
Não te minto e não me engano,
Não finjo e é melhor que seja assim,

Género: 
 

O vento das palavras.

<p>Eu não me encontro mas, também já não preciso de me preocupar. Acho que o tempo já conseguiu curar-me da ilusória procura de quem sou? O que quero, tu e eles!

Género: 
 

Mãe negra,mãe África.

"Mãe negra,mãe África"
Negra de pele macia e luzidia,
teus lindos olhos pretos de brilho reluzente,
agraciavam o teu menino rosto de sorriso marfim brilhante,

Género: 
 

Meu pranto,minha agonia.

Assim que vi o teu corpo coberto de branco na cama,
Incendiaram-se me as lágrimas de pranto,
em todos os vales que há na terra,

Género: 
 

Até quando Outono

Género: 
 

O meu diario

<p>Da janela do meu quarto, saboreava os aromas que me chegavam ao nariz, trazidos pelo fresco vento que corria apressado, sem que dele pudesse escutar palavra ou novidade.

Género: 
 

Palavras

"Palavras"

Género: 
 

Renascer

"Renascer"

Género: 
 

Moribundo

" Moribundo"

Género: 
 

Estou vivo

“Estou vivo”

Género: 
 

Nesta dor desigual

“Nesta dor desigual.”
Neste preciso momento fotográfico,
sentei-me tentando estar no teu lugar,
olhei para o teu corpo triste e magro,

Género: 
 

Lá no horizonte.

Género: 
 

Açores

Género: 
 

De olhos postos nos teus.

Género: 
 

Encruzilhada

Género: 
 

Entrada para o Eden

Género: 
Subscribe to Conteúdo
Top